segunda-feira, 17 de junho de 2013

Mulher Objeto



Certa vez um homem teve que se mudar de onde morava pois ali havia se instalado uma fome muito grande. E quando ele chegou em outra cidade, os homens de lá começaram a cobiçar sua mulher (ela era muito bonita) e ele, com medo, disse que ela era sua irmã, pois pensou que se de fato eles a quisessem e soubessem que eram casados, poderiam matá-lo para ficar com ela. Bom, no final disso tudo ela acabou casada com o rei daquele lugar. Porém, quando ele descobriu  que ela já era casada, os expulsou daquela cidade.
Teve outro homem que conheceu uma mulher muito bonita e começou a namorá-la, mas não porque ele a amava, mas para andar com ela por aí como quem exibe um troféu, tamanha era sua beleza. E ele a enchia de elogios, de presentes, até que finalmente ela cedeu e resolveu entregar seu corpo a ele, afinal ela estava apaixonada. Porém, depois que ele conseguiu isso, contou sua façanha para seus amigos, que por sua vez, ficaram a cobiçá-la, querendo a mesma coisa! E o namorado, notando isso, achou que era ela quem dava bola para os outros homens. Conclusão: a deixou e foi atrás de outro troféu.
E aí, quer saber quem são estas mulheres? A primeira viveu há muito tempo atrás. Seu nome era Sara, mulher de Abraão. A segunda pode ser sua vizinha, uma artista de TV, sua irmã, uma amiga sua ou até mesmo você. 
A mulher, não importa em qual época, tem sido tratada como um objeto. Um objeto de uso pessoal (do marido, namorado), de desejo (de outros homens). E todo objeto quando fica velho é jogado fora, pois sempre tem um mais bonito, mais novo e melhor. Eu tenho certeza que você que leu tudo isso não quer ser tratada (mais) assim. Pois então não aja como o objeto de desejo de homens, como capacho de marido e/ou namorado. Perceba que você tem valor, comporte-se como tal e, aos poucos, você será valorizada. A mulher objeto sempre existiu (ver Gênesis 12, 10-20) e sempre existirá (é só assistir aos programas de televisão). Mas também tem aquelas que aprenderam a se amar e por isso sabem seu real valor diante de Deus, pois Ele não faz diferença entre as pessoas, apenas quer que sejamos sinceras e justas, como Ele é. Primeiro, com você mesma, e depois com Ele. Pense comigo: você está sendo sincera com você mesma quando aceita este namoro que só te entristece? Acha justo ser tão desvalorizada? Com sinceridade, a forma como você se expõe vai te fazer feliz com quem quer que seja? Então, agora, seja sincera para com Deus e desabafe, diga o que se passa dentro de você e Ele será justo e te ajudará.
Você precisa parar de viver de aparências, este mundo não merece todo esse esforço que você faz. Não seja um objeto nas mãos de alguém, mas sim um instrumento nas mãos de Deus.


Um comentário :

  1. Adorei o post amiga, pura verdade.

    Parabéns...
    Bjssssssss querida e uma noite super abençoada p/vcs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...